Arquivo da categoria: Semiótica – Gestalt – Percepção

Será que o design é realmente importante?

Lendo uma reportagem, no jornal do carro a respeito dos 3 carros compactos lançados em 2012 – Hyundai HB20 / Chevrolet Onix / Toyota Etios – ficou claro para os analistas que tecnicamente o Toyota Etios é superior aos concorrentes.

Mas o que chama atenção na reportagem, é que em vendas o Toyota Etios  está apanhando feio do Hyundai HB20 e do Chevrolet Onix e, sabe qual motivo?

Falta DESIGN!!!

E quando falta DESIGN, a percepção que temos é de um produto mal cuidado e de baixa qualidade, mesmo que ele “tecnicamente” seja superior.

Lembremos da nossa amiga “Gestalt” – a percepção se dá pelo todo, não pela soma das partes.

Link: Jornal do Carro

Semiótica, Intuição, Técnica e Teoria

Tenho me dedicado ao estudo da Semiótica, que é um assunto fascinante, que te obriga a buscar o significado dos signos e compreender como as pessoas os interpretam, em diversos contextos.

Venho percebendo que poucos conhecem os termos “técnicos” utilizados, mas ao mesmo tempo vejo o uso constante da semiótica de maneira intuitiva.

Por não ser uma pessoa dotada de talento nato, sempre valorizei e defendi a importância do estudo constante. O que me incomoda bastante é ver pessoas talentosas fazendo excelentes trabalhos, muitas vezes sem embasamento teórico e por outro lado pessoas com grande conhecimento teórico, fazendo trabalhos medíocres ou apenas escrevendo artigos, livros ou ministrando palestras e cursos.

A conclusão que eu cheguei até o momento, é que a boa criação tem mais relação com a intuição do que com a técnica ou teoria, lembrando que a intuição também é treino e deve ser aperfeiçoada no dia-a-dia.

A técnica e a teoria podem e devem facilitar a criação, mas nunca substituirão a intuição.

A técnica e a teoria podem ser ensinadas, a intuição deve ser adquirida.

Uma coisa bem interessante é que a intuição absorve a técnica e a teoria. Bons trabalhos tem aplicados a teoria e técnica de maneira intuitiva.

Festa, Viagra e Semiótica

Para comemorar o 11º aniversário do viagra, a agência canadense Taxi teve essa sacada genial…

Fiquei impressionado, com a quantidade de signos que uma simples peça pode carregar.

Um excelente exemplo de semiótica aplicada…

Quais signos você consegue identificar nessa peça? Comenta aí…

Ads of the World

Taxi

Del Valle descarta seu principal patrimônio / ativo visual – Alinhamento Global, Cores, Semiótica e Estratégia

Logo após a The Coca-Cola Company ter adquirido a sucos Del Valle, fiquei curioso para ver como eles iriam trabalhar as marcas de sucos no Brasil, já que anteriormente ela tinha comprado a Suco Mais.

Em 2009, a Minute Maid também pertencente à gigante, lançou suas novas embalagens e, junto com elas um estudo com o alinhamento global das suas marcas de suco.

Achei interessante, mas tinha quase certeza que jamais seria implantado, pelo menos aqui no Brasil, na marca Del Valle.

E, eu estava completamente errado pois em Dezembro de 2010, vou ao supermercado e me assusto com as novas Embalagens da Del Valle.

A Embalagem é bonita, muito melhor que a anterior, mas na minha opinião é equivocada… “Deixou de ser Del Valle”.

Lembremos que, quando a mexicana Del Valle, aportou no Brasil ela não teve apoio de propaganda na TV, teve sua estratégia de comunicação pautada na qualidade dos produtos e no Design de Embalagem.

Antes de chegar oficialmente no Brasil, cada sabor tinha uma cor.

A estratégia de Design adotada para o lançamento no Brasil, foi a padronização das cores, criando um  Paredão Vermelho nas Gôndolas. Estratégia que se confirmou vencedora, já que trouxe bons resultados e a matriz mexicana decidiu adotar esse padrão globalmente.

Mudando um pouco de categoria, recentemente a Ambev processou a Cervejaria Petrópolis pelo uso do vermelho… E a Del Valle, aparentemente não deu importância a esse ativo visual, que ela conquistou há muito mais tempo…

Acredito que os profissionais envolvidos nesse projeto da Del Valle, entendam muito mais de estratégia do que eu. Mas, na minha opinião, essa decisão é equivocada e poderá causar perda de market share.

Se fosse na terra do tio Sam, com certeza aconteceria o mesmo que aconteceu com a Tropicana (Veja Aqui).

Quem já teve oportunidade de trabalhar em um projeto de Alimento Global, sabe que em muitos casos não tem o que se fazer, a não ser acatar uma decisão – “Top Down” – que em muitos casos, se mostra míope.

Em uma rápida análise semiótica é fácil identificar que o signo  mais importante da Embalagem é o Vermelho.

O vermelho nesse caso, não agrega significado à marca, mas ele é o indicador, o sinalizador, o identificador da presença da marca nas Gôndolas. Pode até ser considerado o repositório ou receptáculo dos significados agregados à marca.

Se você puder observar no P.D.V  –  é importante fazer esse exercício – fique ali na categoria de sucos observando as pessoas e vai perceber a confusão que essa mudança está causando.

Resumindo, a Del Valle conseguiu uma coisa que muitas marcas querem, mas poucas conseguem, que é agregar um signo – a cor vermelha – ao Patrimônio/Ativo Visual da Marca, ser “dona” de uma cor e aparentemente descartou essa conquista…

Agora ela corre o risco de não ser mais percebida como “Del Valle”

Anúncio do Mc Donald’s sem appetite appel – #semioticaaplicada

Umas das primeiras coisas que aprendi quando comecei a trabalhar com Design, foi a importância do Appetite Appeal.

É humanamente impossível ver uma foto dos produtos do Mc Donald’s e não ficar imediatamente com vontade de devorá-los.

Todos sabemos que as imagens encontradas de alimentos em anúncios e embalagens, são “meramente ilustrativas”  e passam por uma super produção “Hollywoodiana” para nos fisgar como inocentes peixinhos…

Mas será que essa estratégia convence os experts?

O Mc Donald’s da Hungaria e o pessoal da DDB de Budapest acha que não. Por isso criaram esse anúncio, fazendo referência ao cuidado e carinho na elaboração desse novo sanduíche..íche…íche…

Mais um ótimo exemplo de Semiótica Aplicada que deve ser analisado…

Semiótica e Gestalt aplicadas em um Logo

Na minha opinião um bom Logo é aquele que não precisa de explicação. Um belo exemplo de Semiótica e Gestalt aplicadas em um logo.

Link:

Pentagram

Bic ou Duracell – Me too, é estratégia?

Uma das estratégias (se é que pode ser considerada uma estratégia) mais utilizadas, no design de embalagem  é o me too, que basicamente é “copiar” o concorrente de uma maneira “diferenciada”.

A Bic, acaba de entrar no seguimento de pilhas.

Quando vi as pilhas e as embalagens, logo lembrei da Duracell, eu como chato de galocha fui conferir as pilhas e as embalagens da Duracell, para fazer um comparativo,  no meu ponto de vista existe uma boa diferenciação entre as duas.

Mas por que, eu lembrei da Duracell, Awareness? Recall?

Isso acontece por causa da famosa “Gestalt” que diz – “A percepção se dá pelo todo e, não pela soma das partes” – elas possuem estrutura gráfica e cores ( preto e o laranja que remete ao dourado ) semelhantes.

Acredito que a Procter (Duracell) irá entrar com algum tipo de ação. Por outro lado, a Bic, no meu ponto de vista, não pode ser acusada de ter “plagiado” –  já que eles utilizaram  suas cores corporativas.

Link:

Mundo do Marketing