As cores devem seguir regras ou conceitos?

Não tenho dúvidas sobre a importância das cores para o Design. Mas sempre me questiono, quando estou desenvolvendo qualquer projeto, se devo seguir regras básicas da chamada “psicologia” das cores ou se a cor deve seguir o conceito.

Seria racional utilizar a cor vermelha para um aparelho de barbear?

Para responder essa pergunta segue um pequeno trecho do artigo Lições de quem sabe salvar empresas – Um líder precisa enfrentar as verdades estabelecidas, diz James Kilts, que recuperou a Nabisco e a Gillette que saiu na Revista Época Negócios nº18.

“Líderes precisam também ter coragem para confrontar verdades estabelecidas. Ao assumir a Gillette, em 2001, Kilts deu de cara com uma delas. “Não se pode usar a cor vermelha num aparelho de barbear. Lembra sangue”, diziam os profissionais do marketing.

Pouco depois foi lançado o Mach3 Cool Blue, aparelho azul com três lâminas criado para o público jovem. O sucesso do produto incentivou Kilts a contestar o antigo tabu. Defendeu a criação de um aparelho vermelho, uma iniciativa que, acreditava, ajudaria a enfrentar o anunciado lançamento do equipamento com quatro lâminas da Schick, sua concorrente. Contra a opinião dos marqueteiros, foi criada uma campanha que vinculava a imagem do novo produto a corridas de carros

O aparelho recebeu o nome de Mach3 Turbo Champion. Foi a versão de produto já existente mais vendida na história da Gillette”.

Anúncios

6 Respostas para “As cores devem seguir regras ou conceitos?

  1. Cara, eu não acredito em regras fixas para o ser humano, cada caso é um caso, jovens são mais abertos a mudanças que pessoas de mais idade, porém isso não quer dizer que não se possa usar a mesma estratégia para outra faixa etária.

    O que existe em relação as psicologias das cores são efeitos que foram notados na fisiologia do ser humano, mas isso não quer dizer que sempre você tem que usar essa ou aquela cor para a situação. Claro que você usar preto em um ambiente voltado pra crianças, não vai funcionar bem. As cores, assim como a tipografia e tudo mais no design, ilustração e outras áreas que envolvem tem que ser estudados de acordo com o projeto e o conceito que se deseja demonstrar e com uma escolha no equilibrio entre elas.

    Bem, essa é minha opinião.

  2. A idéia de usar a cor vermelha funcionou porque veio acompanhada de um POSICIONAMENTO correto para o produto: ‘Turbo Champion’.
    A cor vermelha, sozinha, nunca faria milagres…
    É preciso ousar com coerência e responsabilidade.

  3. Ontem ouvi a música:
    “Corre e vai dizer pro meu benzinho
    Dizer assim que o amor é azulzinho”

    E fiquei me perguntando porque eu nunca tinha achado estranho o amor ser azul, já que sempre está associado ao vermelho. No entanto, mesmo os conceitos possuem diversas faces. Às vezes estamos viciados numa delas, mas é possível chamar a atenção pra outra. No caso do amor, é vermelho porque é paixão, mas é azul porque é paz, comunhão. Mesmo nessa aparente inversão de conceito, há a psicologia das cores funcionando.

    Mesmo na embalagem citada, vermelho é associado à tragédia do corte, mas também pode ser ligado à paixão por um esporte e aí vai depender da campanha de marketing utilizada. Acho que é isso.

  4. O problema não é seguir regras mas fazê-lo cegamente. Uma regra provém de algum lugar — normalmente um conceito. Compreender a origem dessa regra nos dá o ferramental para decidir quando seguí-la e quando descartá-la. O que não se deve fazer é nem seguir uma regra cegamente nem quebrá-la só por quebrar. Não é a regra o que importa mas o conceito por detrás dela.
    E acredito que seja claro que eu não estou falando aqui de regras impostas na base do achismo e perpetuadas pela ignorância.

  5. Estas cores só funcionaram tão bem pois geraram contraste com os outros produtos na gôndola! Se todos os outros produtos do gênero fossem vermelhos, o ousado seria usar o azul.
    Portanto nunca podemos esquecer de analisar o contexto onde o produto estará exposto, mais ainda no design de embalagens!!!

  6. Mais que uma cor, o vermelho aí é um símbolo do desejo.
    Desejo uma Ferrari … Levo um Gilette turbo mesmo!
    Olha a embalagem, é um brinquedo para homem barbado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s